Não é de hoje que os jogos carregam uma estigma de serem violentos e glamorizarem a guerra e o assassinato, jorrando sangue na cara de nossas crianças. A figura do seu sobrinho de 11 anos trancado em um apartamento jogando Call of Duty no Xbox comendo Doritos enquanto conversa com amigos no Voice Chat, ou as noites de Counter Strike nas famigeradas Lan-Houses devem ter vindo à cabeça agora.

Mesmo que hoje existam classificações etárias para prevenir o contato de crianças e jovens com esses temas, nem sempre foi assim, e não estou falando apenas de videogames. Filmes, desenhos animados e brinquedos sempre foram inspirados por conflitos armados para gerar entretenimento. Parece bizarro lembrar hoje dos comerciais dos “Comandos em Ação” e do “Falcon” vendendo bonecos fardados com réplicas de armas reais para crianças. Inclusive, existe uma campanha de uma ONG formada por ex-combatentes britânicos do instituto Veterans fo Peace chamada “Action Man: Battlefield Casualities” que mostra de forma irônica o lado da guerra que os brinquedos não abordavam.

Esta semana, venho apresentar um jogo inspirado pelo viés do “lado da guerra não mostrado pelo entretenimento”: produzido pelos poloneses da 11bits Studio, This War of Mine te coloca no papel de civis tentando sobreviver em uma zona de conflito.

Em um abrigo improvisado, você deve ajudar seu grupo a conseguir comida, remédios e ferramentas para mantê-los vivos, saudáveis, e, quem sabe, “felizes”. Imagine um The Sims onde sua vizinhança fica na faixa de Gaza. O jogo se divide em duas partes: o dia, onde você precisa fazer reparos em seu abrigo, construir camas, fogões, mesas para criar suas ferramentas e outras coisas para garantir um mínimo de conforto e usabilidade, e à noite, onde você pode mandar um de seus sobreviventes em busca de comida e suprimentos nos arredores do seu abrigo.

This War of Mine tenta mostrar o quanto momentos de crise conseguem extrair o melhor e o pior do ser humano. Cada sobrevivente do seu abrigo, que pode vir aleatoriamente no início do jogo ou aparecer no meio dele, tem diferentes personalidades e um passado a contar. Alguns realmente querem manter sua integridade, caso você os diga para fazer uma boa ação eles se sentirão bem, caso os faça pegar os suprimentos de um casal de idosos que eventualmente não sobreviveriam a um ataque de saqueadores, eles ficarão com sentimento de culpa por dias e podem até entrar em depressão. Enquanto outros personagens são desprovidos de empatia e não sentem tanto remorso em fazer determinados atos.

Uma vez, enquanto entrava em um supermercado abandonado, presenciei um soldado tentando abusar de uma garota que procurava por comida. Tive a opção de não me envolver e conviver com o remorso, ou, como eu fiz, abri sorrateiramente a porta e nocauteei o soldado com o pé-de-cabra e ajudei a garota a fugir. Os membros do abrigo ficaram contentes por alguns dias por termos ajudado e alguns dias depois a família da garota apareceu para agradecer pela ajuda e nos deu alguns suprimentos.

 

Você começa com um set de 3 personagens que compõe uma história, e a medida que joga abre outros sets diferentes, ou pode criar seu próprio jogo, podendo escolher o set de personagens, a intensidade e duração do conflito lá fora e até mesmo a chegada do inverno, deixando o jogo com a dificuldade que melhor lhe caiba. This War of Mine é um daqueles jogos que te força a querer fazer tudo de novo melhor e mais rápido, portanto, após começar novamente umas 12 vezes como eu fiz, você vai se sentir tentado a fazer um novo jogo com condições cada vez mais extremas.

Dificilmente você vai conseguir sobreviver aos 40 dias de conflito na primeira jogada. Tudo está aberto a ser feito como você quiser e as necessidades não param de surgir mesmo com os suprimentos sempre escassos. Não existe um tutorial que te pega pelo braço e te leva pelo caminho ideal da sobrevivência, tudo é prioridade e nem tudo pode ser feito agora, o que te deixa sempre com a sensação de impotência perante uma situação muito maior que todos ali. E creio que foi exatamente essa sensação que os desenvolvedores queriam passar.

 

Por mais que tudo o que descrevi até agora pareça uma experiência depressiva, This War of Mine consegue proporcionar uma certa dose de dopamina (hormônio da diversão) no seu cérebro a cada suada conquista. Seu sistema de “crafting” sempre dá uma sensação gratificante ao ver que você conseguiu fazer aquela melhoria no fogão ou aquela hortinha que vai deixar a busca por comida menos penosa. Depois de uma semana jogando me peguei pensando com extrema empolgação no que iria fazer quando conseguisse por as mãos no jogo novamente.

This War of Mine foi lançado em novembro de 2014 para PC pela Steam e acaba de receber uma versão para Tablets Android e iOS