Capote, filme de 2005 dirigido por Bennett Miller, retrata a saga do jornalista Truman Capote para escrever uma de suas obras mais famosas: “A Sangue Frio”, romance de não-ficção sobre uma chacina ocorrida em uma fazenda em Holcomb, interior do estado do Kansas, no ano de 1959.

Truman, interpretado pelo saudoso Philip Seymour Hoffman, lê sobre o assassinato da família no jornal e visualiza ali uma oportunidade para uma grande-reportagem de sucesso. Junto com sua amiga e também escritora Harper Lee, interpretada por Catherine Keener, segue para a cidade onde os fatos aconteceram e começa a investigar.

Após ganhar a confiança do agente que liderava a investigação, descobre que os assassinos foram capturados em Las Vegas e transferidos para o Kansas, e passa a visitá-los na prisão. O jornalista cria um forte laço de amizade com um deles, Perry Smith, interpretado por Clifton Collins Junior, da qual se aproveita para conseguir todas as informações necessárias para a conclusão de sua obra. Capote apresenta o livro aos bandidos como uma forma de humanizá-los. Entretanto, como o próprio nome do livro deixa claro, não é assim que os descreve.

Os assassinos são julgados como culpados e recebem a execução como pena, que devido à alguns adiamentos, só acontece cinco anos depois. Só então a obra é finalizada. Ainda que tentasse ser frio e distante, Truman se envolve com os personagens ao ponto de não conseguir escrever mais após a morte dos dois. Em 1984, morre em decorrência de complicações com bebidas.

A relação mais próxima entre o autor com suas fontes é necessária e permitida pelo jornalismo literário. Porém, deve-se ter cautela para que tal proximidade não acarrete em problemas éticos, como acontece com Truman. Ao escrever A Sangue Frio, Capote fez com que a estrutura da literatura e a do jornalismo se modificasse, dando forma ao gênero do New Journalism. Consolida assim o que já acreditava há tempos: que o jornalismo era “o mais subestimado, o menos explorado de meios literários”.

Apesar de se basear no livro de  Gerald Clarke – Capote, Uma Biografia, o filme não chega a se transformar em uma cinebiografia do jornalista. Com seis indicações ao Oscar, incluindo para a categoria de melhor filme, consegue prender os telespectadores do início ao fim, ainda que apresente cenas longas. A fotografia feita por Adam Kimmel é um ponto a ser destacado. Além disso, Philip Seymour é brilhante em sua atuação, uma vez que preocupa-se em treinar os principais traços de Capote, como suas afetações, seu modo efeminado de falar e a maneira de portar-se como centro das atenções.

Confira o trailer abaixo: